Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Quem já ouviu falar em uma rede alternativa para comprar seus alimentos? Mais do que isso, uma rede comercial e sustentável que conecta a comunidade aos pequenos produtores. Uma cooperativa que oferece saúde através de alimentos produzidos em locais próximos a sua região a preços bem razoáveis. Está é a mais nova modalidade, se é que podemos chamar assim, o fenômeno que vem ocorrendo e ganhando adeptos a cada dia, no Brasil e no mundo.

As comunidades são formadas por membros, ou associados, que contribuem de maneira colaborativa, voluntária ou paga, auxiliando em diversas tarefas como separação de produtos para entrega aos compradores, conferência dos itens, através da NF dos produtores, check list dos pedidos realizados e entregues, arrumação de estoque, ajuda na organização de modo geral, entre outras tarefas. Algumas variações podem ocorrer dependendo dos princípios que rege cada cooperativa. Mas, de modo geral, a iniciativa é a autogestão que contribui para estimular o consumo de produtos ecológicos, sustentáveis a preços acessíveis, incentivando o cidadão a pensar e a refletir sobre seu atual estilo de vida.

Alguns princípios  e valores costumam ser básicos e regem estas comunidades. Alguns deles como transparência com os produtores e associados, compromisso, participação, respeito ao meio ambiente e a sociedade, são fundamentais para o correto andamento da cooperativa e sucesso de seu funcionamento.

Os fornecedores, ou pequenos produtores, são igualmente parceiros dos associados e contribuem de modo a manter a essência de todo o negócio. Podem oferecer seus serviços através dos sites ou podem ser indicados por algum membro. Seguem as regras de distanciamento geográficas pré-estabelecidas, além de higienização e precificação adequada. Os fornecedores não podem ser grandes empresários ou indústrias para serem parceiros das cooperativas. Um dos diferenciais é justamente este, pequena agricultura familiar, microempresas ou associações.

As cooperativas buscam o incentivo pela produção e consumo de produtos sem agrotóxicos, de modo sustentável, proporcionando uma maior interação entre o campo e as cidades. Apoiando-os, as cooperativas também os auxiliam a enfrentar a dificuldade encontrada por eles para a comercialização de seus produtos.

Para realizar as compras, são elaboradas planilhas com dias e horários possíveis para retirada dos itens. Os produtores trabalham com base nos pedidos já realizados, garantindo assim a venda integral de sua produção. Algumas cooperativas trabalham apenas sob encomenda, através de email ou telefone e repassam os pedidos aos produtores. São chamadas também de compras coletivas, já que os pedidos são encaminhados todos de uma única vez. A compra também pode ser feita pela internet, porém o pagamento é realizado no ato da retirada dos produtos na sede da cooperativa. Outras ainda possuem um espaço físico, com idêntico funcionamento já descrito anteriormente, porém você não precisa encomendar com antecedência, basta ir ao supermercado da cooperativa e realizar suas compras.

Além de uma nova opção para a sociedade, esta nova prática, ainda oferece a interatividade entre os membros, sua sociabilidade de modo mais harmônico e colaborativo, protege o meio ambiente, além de defender e incentivar as práticas de sustentabilidade e proporcionar a oportunidade de compras com mais qualidade a preços mais justos. Sem intermediários o produtor é melhor remunerado e o cooperado compra com valores inferiores aos supermercados. Simples assim! Todos ganham.

Algumas das cooperativas já existentes estão listadas abaixo. Vale a pena conferir e por que não participar:

Rede Ecologica – Rio de Janeiro / RJ , Cooperativa Girasol – Porto Alegre / RS, Rede Moinho – Salvador / BA, 4 Cantos do Mundo – Belo Horizonte / MG, Centro Ecológico – Rio Grande do Sul e Santa Catarina, Park Slope Food Coop – Nova Iorque, The People´s Supermarket – Londres.

Se você conhece alguma cooperativa como estas em sua cidade ou que não está citada aqui, nos envie, através de “comentários” e ajude a divulgar esta prática!

Crédito Imagens: Dicas e Cia e cooperativas.