Tags

, , , , , , , , , , ,

Polêmico, duvidoso, estratégico, eficaz ou não. A marca finlandesa Nokia, conseguiu a atenção de muitos internautas durante a última semana com o viral do casal virtual Daniel e Fernanda. Ontem, dia 17 de Julho, o desfecho da história foi revelado e deixou muitos comentários na rede. Mas, afinal, as empresas estão preparadas para uma ação viral?

A campanha publicitária foi criada pela agência NaJaca e despertou o envolvimento de milhares de seguidores. Foram cerca de 100.000 apenas na página criada no Facebook e mais de 1,1 milhão de visualizações nos três vídeos postados no YouTube.

A marca afirma estar satisfeita com o resultado: “Geramos engajamento por chegar, tocar as pessoas com uma história romântica, algo que tocasse de alguma maneira”, diz Flávia, diretora de marketing da Nokia. (fonte: istoédinheiro).

fernanda-daniel-balada-nokia-perdi-meu-amor-na-baladaNo final das contas, as empresas querem fixar a marca junto ao público, fortalecendo a imagem da empresa e revertendo em resultados comerciais e financeiros. Por isso é importante que a exposição seja positiva, do contrário, pode ser tão prejudicial quanto lucrativa. Sentimental, provocador, intuitivo, leve ou sutil. São muitos os formatos indicados como fórmula para que um viral realmente funcione. Algumas definições foram criadas para melhor descrever a estratégia e a maioria delas cita como essencial o crescimento exponencial, sua reprodução e sobrevivência.

fernanda-daniel-balada-nokia-perdi-meu-amor-na-balada

Aprender com os erros, gastar menos e produzir mais são algumas lições que as empresas devem considerar. O viral também trata sobre o novo uso da tecnologia, assim como, humanizar a atuação corporativa nas redes sociais. São temas que ainda geram dúvidas e expectativas dentro do mundo corporativo. Pedir desculpas e rir de si mesmas são algumas das respostas ao consumidor recentemente adotadas.

O “curtir”, “compartilhar” e o “retuite” são agora, algumas das armas que podem ser utilizadas contra ou a favor de uma marca.  As sensações de raiva, alegria, nostalgia, entre muitas outras,  podem contribuir para que uma ação se torne um viral. Estudar a psicologia e o comportamento das pessoas certamente ajuda no sucesso de uma ação viral, gerando maior entendimento sobre as relações humanas. A expectativa gerada com os envolvidos pode ser uma ameaça dentro da estratégia traçada, principalmente quando ocorre a frustração.

Enfim, considerando que toda a história foi construída com o objetivo principal de atrair jovens e divulgar o celular 808 PureView e sua câmera de 41 megapixels, resta agora saber se os resultados serão convertidos em vendas e em fidelização da marca.

Crédito imagens: YouTube, MktLondonFacebook