Tags

, , , , , , , , , , ,

Alex Atala

Anos atrás o sonho de muitos pais era ter um filho formado em medicina, engenharia ou direito. Mas, o tempo foi passando e algumas profissões foram ganhando a simpatia de muitos jovens. Contrariando alguns protótipos tradicionais, a profissão de Chef de Cozinha virou sinônimo de glamour e status. Com muita dedicação alguns nomes ganharam destaque no cenário atual e hoje são considerados exemplos da alta gastronomia.

Os atuais Chefs se firmaram quando o preconceito ficou de lado e abriu espaço para novos paradigmas. A gastronomia passou a ser vista também por homens e apreciadores da culinária. Trata-se de uma nova geração que nasce com inúmeras possibilidades no mercado de trabalho. No entanto, é sabido também que nem tudo são flores. Na verdade a profissão nasce de 10% de talento e 90% de trabalho. As exigências são cada vez maiores para conseguir destaque dentro de um universo onde poucos são como o renomado Chef Alex Atala (a frente do D.O.M, eleito este ano o 4º melhor restaurante do mundo pela revista britânica Restaurant Magazine) e a grande maioria passa despercebida atrás dos fogões. Características como criatividade, organização, ousadia e dedicação são essenciais para seguir pelo caminho do sucesso.

Roberta Sudbrack em ação

Nomes como Helena Rizzo, Roberta Sudbrack, Rodrigo Oliveira, Thiago Castanho e Alberto Landgraf destacam-se no cenário gastronômico atual. À frente respectivamente, dos restaurantes Maní, Roberta Sudbrack, Mocotó, Remanso do Peixe e Epice estes especialistas em sabor dirigem suas equipes muito bem treinadas para servir o que há de melhor em cada casa.

Helena Rizzo, do Maní em São Paulo, conquistou o 51º lugar na lista dos 100 melhores restaurantes do mundo eleitos pela Restaurant Magazine. Em seu caminho passou por diversos estágios com chefs renomados, além de organizar e executar jantares particulares, prestar assessorias e claro, trabalhar com a mão na massa em meio a inúmeras panelas e colheres de pau. Aprendeu também na Itália, em Milão, depois foi para Espanha onde passou por mais de 7 restaurantes diferentes, antes de voltar para o Brasil onde está hoje ocupando posição privilegiada no mercado.

Rodrigo Oliveira, após ter iniciado faculdade de engenharia ambiental, levou um tempo, mas não tardou a perceber que seu talento era mesmo a gastronomia. Atualmente no comando do restaurante Mocotó, em São Paulo, já percorreu muitas cidades do Brasil atrás de novos sabores de cachaça. Após lavar pratos e banheiros, estagiou com grandes Chefs e visitou muitas feiras livres no nordeste, onde deu seus primeiros passos. Atualmente, frequentadores de todo o mundo experimentam suas iguarias que se tornaram conhecidas após muita paixão e talento.

Valorizando os sabores da região do Pará, o restaurante Remanso do Bosque fica em Belém e tem as mãos do jovem, de apenas 23 anos, Thiago Castanho. Formado em gastronomia pelo Senac, estagiou em diversos restaurantes pela Europa e já faturou alguns prêmios de destaque. Seguiu os passos de seu pai, que abriu o restaurante dentro de uma vila residencial e que tinha a família toda trabalhando: o pai na cozinha, a mãe, irmão e o próprio Thiago no salão.

Muitos são os nomes desses renomados mágicos da cozinha. E os números do setor também são altos. Foram R$215 bilhões de faturamento do setor em 2011. (fonte: Gazeta do Povo) È pensando na profissionalização da gastronomia que foi criada recentemente a Associação dos Profissionais de Cozinha do Brasil (APC), nascendo como transição natural da Associação Brasileira de Alta Gastronomia (Abaga), que só aceitava Chefs com no mínimo 10 anos de experiência. Fundada por nomes como Laurent Suaudeau, Emmanuel Bassoleil, Luciano Boseggia, Christophe Besse e Jorge Monti de Valsassina, a entidade  tem como principal objetivo democratizar a profissão de cozinheiro, difundindo conhecimentos e valorizando a gastronomia brasileira.

Para quem gosta de apreciar um bom prato e conhecer novos restaurantes, não há nada melhor do que saber que o setor está em crescimento e cada vez mais qualificado. Aprender  o que é um “panaché”, entender mais sobre o “brunoise”  ou como “cortar à Juliana” pode ser uma saída interessante para quem está pensando sobre o que vai ser quando crescer. A profissão que está evoluindo e encantando cada vez mais pessoas por aqui, pode também abrir portas no exterior. Que tal dar um pulinho na cozinha e começar a entender melhor este planeta chamado gastronomia!

Conheça:
Crédito imagens Creative Commons (CC): Flickr e Wikipedia